Copa do Mundo: veja dicas para torcer e manter a saúde do seu pet

junho 19, 2018 by in category Dicas with 0 and 0
Home > Blog > Dicas > Copa do Mundo: veja dicas para torcer e manter a saúde do seu pet

Durante a Copa do Mundo, o barulho dos fogos de artifício e o excesso de pessoas em casa ou na casa de vizinhos podem causar estresse, ansiedade e medo nos cachorros.

A Copa do Mundo é um dos eventos esportivos mais populares do mundo. No Brasil, as partidas de futebol costumam mobilizar bairros inteiros, onde amigos geralmente se encontram em casa para acompanhar a sua seleção preferida. Mas o que é festa para alguns, pode ser um terror para outros. Os cachorros são animais muito sensíveis e podem sofrer em ambientes barulhentos e agitados.

Um dos principais perigos vem dos fogos de artifício. Segundo o Sindicato das Indústrias de Explosivos do Estado de Minas Gerais – maior produtor de fogos de artifícios do país – a expectativa é de que a Copa do Mundo gere um aumento de 20% nas vendas desse tipo de produto.

O barulho dos foguetes e das explosões causa muito medo e estresse nos pets, que podem chegar até mesmo a morrer por conta disso. Além disso, a grande movimentação de pessoas dentro de casa, na rua ou no corredor pode causar estranhamento.

Segundo a especialista Mariana Mauger, da farmácia de manipulação veterinária DrogaVET, “os animais podem sofrer com estresse, depressão, ansiedade e até hiperatividade, tudo pela exposição ao barulho alto e ao movimento intenso de diferentes pessoas na residência para a recepção em dia de jogo”.

Felizmente é possível preparar o animal para que ele passe esse período de festividades na maneira mais confortável o possível.

O perigo dos fogos de artifício

Um dos principais motivos para tamanho impacto dos fogos de artifícios nos pets é a sensibilidade elevada dos seus ouvidos. Por conta dessa característica, aguentar o barulho das explosões se torna muito difícil. O instinto dos cachorros também correlaciona os sons elevados com uma ameaça, o que contribui para o abalo emocional do animal. Outros efeitos causados pelo estresse são o nervosismo (que pode fazer com que o cão destrua móveis), e agressividade.

Para a profissional da DrogaVET, a idade dos pets também influencia no impacto que os fogos causam. “Os filhotes requerem atenção para não desenvolverem traumas futuros. Já os idosos, para evitarem complicações em doenças pré-existentes, como: diabetes, cardiopatias e insuficiência renal, em decorrência do estresse”, explica Mariana.

Como preparar o cachorro para os fogos de artifício?

Um dos tratamentos recomendados por Mariana é o uso de medicamentos fitoterápicos e florais. Entretanto, esses produtos podem variar de acordo com a personalidade do animal, seu porte e idade. A veterinária recomenda o uso de Passiflora, Valeriana, Melissa e Hypericum para bichos de pequeno porte, cães e gatos que constantemente sentem medo diante de eventos de longa duração.

A Passiflora combinada com Triptofano ou com Valeriana pode ser usada em cães que no dia a dia não demonstram emoções fortes, mas que diante de um evento pontual às vezes apresentam sintomas de ansiedade leve ou medo. Entretanto a Valeriana não é recomendada para os gatos, que podem sofrer o efeito inverso, ficando mais excitados e eufóricos. Mas atenção, nunca medique o seu pet por conta própria. Sempre faça uma avaliação com um profissional para orientações mais detalhadas.

Os fogos soltados durante a Copa do Mundo podem causar medo, estresse e ansiedade nos cachorros.
Reprodução/ Shutterstock

Os fogos soltados durante a Copa do Mundo podem causar medo, estresse e ansiedade nos cachorros.

O especialista em adestramento animal Cleber Santos, da ComportPet, conta que condicionar os cães ao barulho dos fogos também pode os ajudar a lidar com o estresse. Fazer com que o cão se alimente ouvindo o som dos fogos é uma boa forma de realizar esse condicionamento. Deste modo, o animal iria associar o ruído a uma coisa positiva – no caso, a alimentação.

“Esse condicionamento pode ser feito no caso dos filhotes e dos cães que não apresentam um nível de estresse tão alto com o barulho. Toda vez que o dono ligar o som, ele ganhará comida. Assim, é feito um condicionamento positivo com o barulho. Também é possível associar o som estressante a petiscos e brinquedos. Quanto mais for feita essa associação, mais rapidamente esse cão irá perder esse medo”, conta Cleber.

Outras medidas podem ser tomadas para ajudar o pet. Um ambiente adequado, que isole bem o som e não permita que o cachorro escape ou se machuque deve ser providênciado. Também é possível usar outros sons, como uma música tranquila, para abafar o ruído dos fogos.

O adestrador também alerta: não dê carinho ao animal. Essa prática acabaria ensinando o bichinho que toda vez que ele sente medo, ganhará mais carinho. No final, o tutor irá incentivar o cão a se sentir assustado.

O excesso de pessoas também pode deixar o seu pet estressado. Caso você vá receber amigos em casa para acompanhar as partidas da Copa do Mundo , arranje um espaço isolado, tranquilo e confortável para que ele possa usar como “refúgio” toda vez que precisar ficar sozinho.

Fonte: Canal do Pet – iG

 

Add comment

Copyright 2017 © Dog4fun - Desenvolvido por agência Crab Propaganda